Inovações tecnológicas: por que não permanecer na inércia?